A sua marca nos Jogos Olímpicos

Como sabemos, as leis (ou melhor, o regulamento) do Comitê Olímpico Internacional (COI) é bem draconiano. Em 2000, quando dos Jogos de Sydney, o conteúdo produzido pela emissora que detinha os direitos de transmissão teve até de mudar o domínio de internet de seu hotsite, já que o contrato previa que apenas a própria contratante é que poderia postar imagens e vídeos. No Rio de Janeiro, a correria das marcas deve ser grande – e aí vale tudo. Quem, por exemplo, tomar iniciativas como a do Banco Itaú, tende a sair na frente, pois estará associando-se ao esporte sem necessariamente invadir a seara do COI.

Os macetes são diversos – e todos válidos. Na Copa isto já era bem visível – bares e restaurantes faziam espaços temáticos sem no entanto terem de pagar a FIFA por isso. Este “buzz” de iniciativas
“piratas” (e bota “pirata” nisso) que gerou até determinações controversas por parte da entidade, como aquela em que foi registrada a propriedade da palavra “pagode”. Um macete legal é investir no tema “países”. Você aproveita que a cidade está tomada de gringos e cria o, digamos, “Espaço Austrália” e vê se aparece por lá a Michelle Jenneke para dar uma dançadinha.

Mas o bom humor ajuda nesses “jeitinhos”. É o caso da divertida loja de vinhos e delicatessen ODDBINS, de Londres, que inventou diversas formas engraçadíssimas de “burlar” os limites do COI. Confira nas imagens:

oddbinoddbins2

Notem que as palavras LONDON (Londres) e OLYMPICS (Olímpicos) estão escritas, LODNON e OLMPLYCS. E no primeiro cartaz, o texto real diz que “nós não somos o burrito oficial dos jogos de 2012, mas de qualquer maneira, das coisas legais que temos em Londres neste verão estamos particularmente empolgados com os Jogos Olímpicos”. E isso num cartaz que, visto da rua, diz que eles têm o Burrito Oficial dos Jogos!

Resta saber que tipo de cliente acredita que Jogos Olímpicos possam ter um Burrito oficial…